julho 15, 2017

palavras


© Jack Vettriano


As palavras são tudo. Tu já foste tudo, e hoje são as palavras tudo o que tenho para te dar. Dei tudo e até as minhas palavras te dei.

As palavras são difíceis de eternizar, as minhas já as vi voar sobre um dourado campo de trigo, baixinho e em surdina, leves, livres como as promessas em palavras ao teu ouvido.

As palavras aquecem-me no Verão e arrefecem-me no Inverno, mas é no Outono que mais gosto de as desenhar, e na Primavera de ler as palavras de outros equinócios.

As palavras deviam brotar em mim, do coração até à ponta dos dedos, as do cérebro morrem novas, sozinhas. O meu coração devia ser a minha máquina de escrever, e a tua pele o meu papel. A esta hora dizes que eras papel químico, que usei na pele de outra. É mentira! As mulheres são todas diferentes, merecem palavras diferentes. Não chores, se tens as minhas palavras, tens tudo o que tenho para dar, pouco e pobre, mas é tudo.

Quem é dona dos restos do meu coração, é dona das parcas palavras que desajeitadas de lá saem até às ponta dos dedos.

As minhas melhores palavras, não foram ditas nem escritas, iam agarradas naquele beijo, aquele em que te disse tudo sem nada escrever...

bésame mucho
por Cesária Évora



6 comentários:

  1. Um beijo diz tudo. Lindas essas suas palavras.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando não há beijo há palavras :)

      Bem vinda ;)

      Eliminar
  2. Que palavras mais lindas, eatas. Espero que ela as tenha sentido.

    ResponderEliminar
  3. ...palavras singelas, mas intensas no sentir.

    ResponderEliminar